Crie bons hábitos – como nosso cérebro reage aos hábitos
 
            Quando os pesquisadores começaram a trabalhar com hábitos nos anos 1990, eles ficaram curiosos sobre um nó de tecido neurológico conhecido como gânglios basais.​

My Image

Se imaginarmos o cérebro humano como uma cebola, composto de camadas sobrepostas, então as camadas de fora – as mais próximas do couro cabeludo – são geralmente os acréscimos mais recentes de um ponto de vista evolutivo. Quando você cria uma nova invenção ou ri de uma piada de um amigo, são as partes mais externas do seu cérebro que estão em ação. E lá acontecem os pensamentos mais complexos. Observe na imagem acima.
            Mais fundo dentro do cérebro e mais perto do tronco cerebral, onde o encéfalo encontra a coluna – há estruturas mais antigas, mais primitivas. Elas controlam nossos comportamentos automáticos, como respirar e engolir, ou a reação de susto que sentimos quando alguém pula de trás de um arbusto. Mais para o centro do crânio há um nó de tecido do tamanho de uma bola de golfe, que é parecido com aquilo que se encontra dentro da cabeça de um peixe, réptil ou mamífero,  esses são os gânglios basais (observe a figura).
            No começo dos anos 1990, os pesquisadores começaram a cogitar que os gânglios basais talvez pudessem ser essenciais para os hábitos. Notaram que animais com lesões os gânglios basais de repente começavam a ter problemas com tarefas como aprender a atravessar labirintos ou memorizar como abrir recipientes de comida. Os gânglios basais eram essenciais para recordar padrões e agir com base neles. Os gânglios basais, em outras palavras, armazenavam hábitos mesmo quando o resto do cérebro adormecia.
 
Nosso cérebro tem a capacidade de converter uma sequência de ações em uma rotina automática e está na raiz de como os hábitos se formam.
 
Alguns são simples: Você automaticamente põe a pasta de dente na escova antes de coloca-la na boca. Alguns, tais como se vestir ou preparar o almoço das crianças, são um pouco mais complexos.
            Outros são tão complicados que é espantoso pensar que um pequeno pedaço de tecido que evoluiu há milhões de anos possa chegar a transformá-los em hábitos.
            Entretanto, os hábitos surgem porque o cérebro está o tempo todo procurando as maneira de poupar esforço.
Se deixado por conta própria , o cérebro tentará transformar quase qualquer rotina em um hábito, pois os hábitos permitem que nossas mentes desacelerem com mais frequência.
 
            Um dos nossos maiores desafios na atualidade é criar hábitos saudáveis, mas para isso, temos que ficar muito atentos quais são as rotinas que buscamos para nossas vidas!!!

Fiquem atentos, vem aí o Produtividade em foco 2017.2


Forte Abraço, e até a próxima!!!
Alberto Souza